RELACIONADOS





Série: amiga, obrigada (4)

14 de agosto de 2018

By Reproduction.


Enquanto revezávamos as goladas entre a garrafa de vinho e alguma lata de cerveja, tragávamos a bendita da saudade e ouvíamos a discografia de Legião.

Ficamos sentindo o vento balançar nossos cabelos e os pelinhos do corpo se arrepiando de cinco em cinco minutos, mas nos recusamos a ir embora.

- Pronta agora? – Perguntei, encorajando-a.
- Estou. Eu acho. Sabe o que é mais engraçado? Na última vez que conversei com ele, disse que recorreria a você, porque a insônia havia me pegado de jeito.
- Pois é, eu sou chata o suficiente pra te dar sono.
- Não é isso, ô! É que você me faz bem, sabe. Eu sei que tudo vai dar certo porque você me transmite paz...
- Acho que você já pode parar de beber, a fofice tá passando do limite.
Ela riu, dando um soco leve no meu ombro esquerdo.
- O que acontece agora é que eu preciso e quero tocar minha vida, porque o mundo continua girando. Com ou sem ele. Já aprendi isso, só preciso fazer o meu mundo girar. Só que eu sinto tanta falta dele... – Ela expirou fundo, limpando o ar dos pulmões. – É como um usuário de drogas precisando manter o vício, embora isso não pareça saudável.
- E você acha que isso aqui é? – Dou uma baforada do cigarro no rosto dela, rindo, já meio altinha, e a faço a olhar as latas de cerveja e os vidros de vinho enterrados na areia.
- Detalhe, acontece. – Ela diz, sorrindo.
- Pois é, moça. Acontece. Não vale ficar se privando, você tem que se entregar ao que sente, independente de que... Peraí, por que eu tô falando isso pra você? Logo pra tu, a rainha do drama e profundidade...

Ela jogou o cabelo e deu um sorriso, mas eu sei que essa pinta de inquebrável pinta o corpo todo, mas não chega a deixar uma manchinha sequer na alma.

- Eu não se lidar com isso, ao mesmo tempo em que quero o corpo dele perto do meu, tenho medo de como isso tudo acabar. Quer dizer, tenho medo de acabar.
- Torço muito pra vocês se entenderem ou acabarem de vez com a coisa toda. Quantas voltas você já deu, mas acabou percebendo que supre o mesmo sentimento por ele, senão maior?
- E eu não sei? Parece karma...
- Parece que vocês tem um laço, como aquela lenda chinesa que diz que as pessoas nascem com um fiozinho preso no dedo mindinho, ligando um ao outro. O fio pode se esticar, mas nunca quebra, não importa aonde vão, vocês sabem onde pertencem.
- Eu só quero acabar com isso, e ao mesmo tempo não quero.
- Você precisa conversar com ele. Resolver isso de vez. Estou cansada de te ver assim.
- Eu sei, eu tô tão confusa, eu vou resolver, te prometo, é que eu quero tanto que...
Pare de doer. Completei mentalmente, enquanto ela vomitou todo o álcool que consumimos o dia todo. Me levantei,  segurando seu cabelo pra trás, e ela se ajoelhou na areia. Minutos depois, ela me olhou rindo, enquanto eu limpava o rosto dela com minha camisa favorita.
- Acho que preciso de um banho.
- Ainda não, você precisa de água de coco.
Então, ela me abraçou forte e disse, com a voz embargada:
- Vai ficar tudo bem.
- Vai, agora eu sei que vai.

(Continua...)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

IASMIM SANTOS
LAYOUT POR LUSA AGÊNCIA DIGITAL