RELACIONADOS





Coração tem porta automática

29 de maio de 2016

@TaylorSwift

Você pode ler ouvindo Sandy Leah - Morada

Senta aqui, quer um café?
Eu quero te contar que, embora, na maior parte do tempo, pareça que algumas pessoas não valem a pena, você vale, e Deus vai colocar as certas na sua vida, basta você esperar e persistir nas coisas que acredita e tem como valor extremo no seu coração.

Tudo bem esperar que as pessoas que você ama nunca vão embora, quem quer deixar partir coisas que tanto almejamos? Tudo bem você sempre querer abraço apertado e beijo no topo da testa, mas em algum momento, você também precisa ir, porque, nós nunca sabemos aonde pertencemos até estar onde devemos estar, nós nunca sabemos que estamos perdidos até nos encontrar.

É importante aprender o momento de ficar e o de ir, porque não devemos despir a alma em quartos que não merecem nem um fio da roupa, não devemos mergulhar o coração em locais rasos, porque a gente sempre vai embora, e vai magoado. Mas, a gente aprende muito com essas coisas, não é? Deixamos a outra pessoa ver o nosso melhor, e ela nem se importa com o que está vendo, então, a gente se veste e vai, ciente de que aquele não é um lugar para fazer morada, não é um local onde descansar a cabeça, então a gente precisa ir.

Também temos que aprender esperar que fique e deixar que vá, porque está longe das nossas mãos o desejo da outra pessoa. Você pode muito bem ser o melhor lugar para fechar os olhos e dormir, melhor abraço para morar, melhor sorriso para amar, mas, se alguém não quiser ficar, deixe que vá. Mas, coração tem porta automática, não temos controle sobre ele, fazer o que?
Não sei por que Deus me fez assim, mas meu coração tem porta automática, mania boba de estar sempre aberto pra acolher, cuidar, e pra se machucar também, porque, da mesma forma que você tem passa-livre pra entrar, ninguém vai te proibir de ir.

Como lidar com isso? Como a gente cuida e se previne, se o coração age por si próprio, não pede conselho? E eu já descobri, por experiência própria, que as travas de segurança que a razão faz não são tão fortes quanto o desejo de estar aberto a tudo, todos.

Meu coração gosta de viver na víscera de cada coisa, ele se joga em todo rio que vê, praia, mar, até em poças de lama, onde ele se magoa. Mas, tudo bem. Fico com a certeza que fiz tudo que pude, tudo que estava ao alcance, e quando não sobrar mais tempo nem força para todo esse desejo de ser sempre mais um pouco, nós seremos muito, e ainda haverá espaço para visitas. 

Como lidar com a vontade de se proteger, e o coração desejando sempre um pouco mais? Não lida, a gente vive, por isso eu vivo mais do que devo, o quanto mereço, porque meu coração sempre soube que até do pouco eu bebo, e sempre quero mais.

Série: amiga, obrigada (3)

26 de maio de 2016

By Reproduction


Parte de mim sabia que ela não conseguia falar porque sabia como me sentia, e embora soubesse que podia confiar em mim, era ela quem abraçava forte e dizia que tudo iria ficar bem, embora eu saiba que ela sempre conseguiu se convencer melhor que as outras meninas, essa é minha vez. E, se quer saber, eu já gostei de alguns caras na minha vida, e nada nunca foi tão profundo quanto o que ela sente por ele. Também pudera, ela é deeper, profunda demais, intensa demais, ela é a onda perfeita para surfar e o máximo que ele consegue é remar deitado na prancha.

Carregamos três garrafas de vinho e uma cartela de Black sabor menta de volta a duna que estávamos sentadas. Abri uma garrafa e virei na boca, dando uma boa golada e passei pra ela.
- Você precisa falar.
- Calma, nem comecei a beber.
Abri a cartela de cigarros e ri ao procurar, inutilmente, pelo isqueiro:
- Que tipo de fumante esquece que precisa de fogo pra fazer a coisa funcionar?
- Nenhum, não somos fumantes, prova disso é essa frase boba. “Fazer a coisa funcionar” – Ela riu de mim. – Não somos viciadas. Apenas tragamos saudade... EEII, SEU MOÇO!

Virei o rosto pra ver pra onde ela gritava e vi um rapaz de cabelo longo molhado e barba muito bem feita com um cigarro entre os lábios. Ele se aproximou e disse algo com aquele sotaque maravilhoso dos portugueses, e sorriu ao entender o que queríamos dizer com o cigarro apagado em nossas mãos. Então, abriu o bolso esquerdo da mochila que carregava nas costas, tirou um isqueiro, nos entregou e saiu andando.


- EI, CÊ ME ESQUECEU!!! – Gritei, e foi o suficiente para cairmos na risada de novo.

(CONTINUA...)

O amor não é banal, multiplique-o

22 de maio de 2016

By Tumblr.

As histórias de amor que nós conhecemos (A Bela e a Fera, A Bela Adormecida, Cinderela, Rapunzel... E todas as outras histórias contadas por pessoas que vivem a base de amor) um dia, infelizmente, serão lendas porque o amor está sendo banalizado. Não importa o que digam, nem o que façam, o amor existe sim, independentemente de todo e qualquer sofrimento que haja no mundo.
Pense comigo, um casal de mendigos que se ama, tem tudo. Mas um casal de ricos que não se ama não tem nada. O amor é tudo, embora as pessoas não consigam, não queiram aceitar isso, ou sejam descrentes do amor. Uma coisa que eu digo sempre é que não importa quantas vezes você teve o coração machucado, nem quantas vezes te magoaram, o amor um dia chega até você e te deixa incrédulo.
Se o mundo está do jeito que está hoje é mais por falta de amor do que por todos os problemas que existem; e se esses problemas existem é por falta de amor. Se os corruptos roubam dinheiro dos inocentes é porque são egoístas demais para pensar no outro. Se o negro sofre racismo é porque o homem não tem amor o suficiente para entender que as pessoas são diferentes, e merecem ser amadas por isso. Eu sou singular num mundo de 7 bilhões de pessoas singulares. Acontece o mesmo com todo e qualquer tipo de preconceito.
A natureza está sendo destruída cruelmente porque o homem não sabe dar o devido valor a ela. Tudo isso e todo o resto é por falta de amor. O mundo não vai aguentar muito se continuar assim, o amor está por um triz de ser esquecido. E isso não pode acontecer. Se a maior das coisas do mundo é o amor, ele haveria de ser esquecido? Por que haveria de ser diluído? Não pode, não está certo. O amor é tudo. T-u-d-o.
Se as pessoas amassem mais, o mundo seria melhor. Ninguém precisaria se preocupar em ter que passar noites debaixo da ponte, porque teria uma cama quente e aconchegante. Ninguém se preocuparia com o dinheiro que está pouco, e o governo está roubando mais. Ninguém perderia tempo julgando fulano e sicrano por cor de pele, opção sexual, opção religiosa. As diferenças existem sim, somos singulares (assim mesmo, no plural).  Ninguém é igual a ninguém, é importante respeitar o outro.
As mulheres não se preocupariam em medir as palavras, nem aumentar um metro na barra da saia porque os homens seriam homens de verdade, e saberiam cortejar uma mulher. Ninguém precisaria fazer protestos, causar discussões, e brigas, levando a morte de inocentes que gritam por liberdade de expressão.
Ninguém choraria a dor de não ter o que comer, porque num mundo onde todos são diferentes os direitos seriam iguais. E acredito que quando as pessoas lerem sobre tudo que escrevi, elas se sentirão comovidas e feitas para multiplicar isso. O amor não é banal, você quer multiplicá-lo?




Série: amiga, obrigada (2)

19 de maio de 2016

By Tumblr.

 - Lembra de quando eu o vi pela primeira vez, na cidade, e eu sussurrei pra você que ele ainda seria meu?
- SIIMMM! A gente tinha bebido horrores naquele dia.
Ela jogou a cabeça pra trás, rindo e imitou a voz de bêbada louca daquele dia:
- Você ainda não sabe, mas você é todo meu, seu gostooosoo!
Acompanhei a risada alta dela.
- Mas, sabe, alguma parte de mim sempre soube que ia acontecer. Foi demais, sabe. Quando ficamos eu me apaixonei, instantaneamente. O toque, o sorriso, os lábios, o jeitão e até aquele ar narcisista... no fim da noite, eu sabia que estava ferrada.
- Porque chegou tarde em casa e levou bronca de todo mundo. – Ri, lembrando dela me contando como a coisa toda aconteceu e  que não iria na minha festa por causa do episódio.
- Também. – Ela respondeu, rindo, mas quebrou o sorriso ao continuar: Eu sabia que tava ferrada porque ele era o tipo perfeito pra foder comigo. Jurei pra mim mesma que me manteria longe, porque ele cheirava a problema, muito doce, mas ainda assim um problema.
Ela deitou a cabeça no meu colo, acariciei seu cabelo úmido, enquanto ela contava estrelas, mas parou, pouco depois, como se vislumbrasse tudo ali diante dela.
- Não quero falar mais. – Ela disse e a luz das estrelas refletiam as lágrimas em seus olhos castanhos.
Droga, eu quero tanto que ela diga que vai ficar tudo bem, eu não sei lidar com isso, o cais sempre foi ela, e estou cansada de vê-la em tantos pedacinhos, isso tá me deixando quebrada.
- Se vamos ficar aqui por mais tempo, preciso de vinho.
- Concordo. E cigarros também.
Nos levantamos e fomos pisando firme, na mesma intensidade da alma, até chegarmos ao bar.

(Continua...)

Uma versão de mim falando da falta que ela faz

17 de maio de 2016

Via Lindsay Woods.
Você pode ler ouvindo Chill Nation - Sorry (cover/remix)

Encaro o notebook, tentando descobrir quantas garotas há numa foto, e me pego tentando descobrir como me livrar da saudade que sinto dela. Então, cara, me escuta, não deixe-a irPorque ela chegou sorrindo e foi embora da mesma forma, e eu tão fraco e desajeitado, só a assisti indo, ciente de que estava perdendo a mulher da minha vida.

Nos primeiros meses eu sabia que ela estava quebrada, mesmo sorrindo alto numa mesinha de bar com as amigas. Aquele sorriso descontraído fez lembrar-me da vez que fiz uma piada melodramática e ela jogou a cabeça pra trás, sorrindo. Doeu não estar perto para beijar seu sorriso e sentir seus dedos brincando com minha espinha vertebral.

Ela tem a capacidade de te fazer ouvi-la e se impressionar com tal intensidade, e você sempre vai se surpreender, porque ela é parágrafo desconhecido todos os dias. Ela pode te fazer rir até você não aguentar mais, tem o dom de prender seu olhar enquanto bola alguma frase na cabeça ou lê algum livro que gosta.

Porque ela é rock, mas também jazz, indie, blues e soul. Ela sorri para a vida e dança no meio da noite, enquanto o coração está encolhido no seu quarto, com uma xícara de chá, alguns livros e muitas, muitas cartas. Ela vive ao estilo Nirvana, mas o coração é de Taylor Swift.

Pois é, cara, você vai querer abraçá-la e nunca, nunca mais soltar. Então, enquanto você tiver a chance, abrace, beije, cuide e ame, por você e por mim. Porque eu fui um burro, não soube cuidar dela como deveria.

Dou outra olhada na tela do notebook, encarando a imagem que todos estão tentando entender, e, ah, são só duas garotas e dez reflexos, e uma versão de mim falando da falta que ela faz, esperando que você nunca precise sentir isso, porque dói. Dói pra caralho. Da mesma forma que o sorriso dela me despedaça. Se isso se tornasse uma imagem para as pessoas interpretarem, estaria claro: eu sempre fui um caso perdido e ela merecia mais do que eu dava. 

Cuida bem dela, porque o mesmo sorriso que faz teu corpo estremecer, pode fazer teu coração em pedaços, e olha que eu nunca acreditei nessa subjetividade de coração em pedacinhos. Acontece, cara. Aconteceu comigo. Não deixe acontecer com você também.

Série: amiga, obrigada (1)

12 de maio de 2016

Via google+


- O que que eu vou fazer?
- Você sabe o que fazer, cê sempre sabe.
- Agora eu só quero chorar.
- Então, chora. Eu tô aqui. Eu te amo, e vai ficar tudo bem.
- Unhum...- Eu a abracei forte e ela chorou molhando minha t-shirt do Nirvana predileta. Tudo bem, tudo bem, eu limparia até o vômito dela com essa camisa se fosse preciso.
- Sabe, eu nunca pensei que minha primeira noite na praia acabaria com você chorando e várias latas vazias de Skol Beats na areia. Imaginava que seria, ao menos, vinho pra esquentar porque eu tô com um frio que cê nem sabe.
- Sei sim, olha, você tá toda arrepiada. – Ela respondeu, rindo.
Eu não precisava olhar pra perceber os pelinhos dos meus braços eriçados, eu sabia. Só queria fazê-la rir, porque estava me matando vê-la daquela forma.
- Me conta de novo?
- O que?
- Essa história maluca de vocês dois. – Não que eu queira que ela sofra mais. Okay, sei que tiraria novas lágrimas dela e minhas também, mas sempre que termina de contar, ela respira fundo, tirando o fôlego de lá do fundinho da alma e diz que vai ficar tudo bem, e eu quero que ela diga isso porque talvez seja mais fácil pra mim acreditar.
- Tem certeza? E se eu ficar parecendo uma tagarela repetitiva?
- Você sempre foi minha tagarela predileta, sua boba. Conta.
Ela tirou a cabeça do meu ombro, respirou fundo olhando para as ondas do mar, e em seguida, ergueu o olhar para a Lua, no céu.
- Ai meu Deus... – Ela suspirou, antes de dar outra golada na cerveja e enfiar os pés dentro da areia.

(Continua...)
IASMIM SANTOS
LAYOUT POR LUSA AGÊNCIA DIGITAL