RELACIONADOS



categorias

24 de fevereiro de 2018

É ela, e você sabe disso (1)

By Reproduction

- Eu sei que você estremece na base ao vê-la sorrindo, sei da tua vontade de beijá-la, abraçá-la forte e dizer que sempre foi ela, eu sei, você sabe, mas ela não. Você tá esperando o que pra deixar isso claro? Fala uma, duas, três, quantas vezes for necessário, mas fala. Faz ela acreditar em você, faz ela perceber que ela é a mulher da sua vida. Tu me escuta, que eu tô falando isso sob o efeito de álcool e não tenho costume de dar conselhos amorosos. Tu sabe disso.
- Por que tu tá me falando isso, se você deixou a Sophia ir embora?
- Não me lembra isso, cara, não quero ir lá bêbado e parecer que é efeito do álcool.
- Eu também não.
- Faz assim: eu procuro a Sophia amanhã, e você procura a Ana.
- Tá bem. Você acha que eu deveria mesmo?
- Alô, Sophia? Oi, sou eu...
- Que merda você tá fazendo, cara?
- Shhh... Tudo bem com você? Hum, que bom... sim, bebi um pouco, eu sei que não deveria ligar agora, mas, eu não aguentei. Eu tava aqui falando pro bundão do Lucas ir falar com a Ana, e ele jogou na minha cara que eu havia deixado você ir embora, mas eu quero te dizer que sinto sua falta, e amo você... Merda, cara, ela desligou.
- O que ela disse?
- Pra mim procurar ela quando estiver sóbrio.
- Você não devia ter ligado.
- Será que deu tempo dela ouvir que eu a amo?
- Ah, cara, amanhã você resolve isso.
- É, e você adora protelar tudo. Liga pra Ana, bundão.
- O que? Tá louco?
- Não, pelo menos você tá mais sóbrio que eu.
- O que eu vou dizer?
- O que foi que eu te disse?
- Eu sei o que você disse.
- O que você quer dizer pra ela?
- Ah, cara, o mundo fica mais bonito quando ela acorda, e o mundo sorri enquanto ela dorme, e isso sou só eu imaginando o rostinho de bebê babão dela dormindo. Eu queria que ela soubesse que faz muito tempo que gosto dela, e que sou muito frouxo, e deveria ter dito isso tudo antes, que eu fico imaginando como seria se ela soubesse e se ela me beijaria como nos meus sonhos...
- Quem tá falando?
- Meu Deus, Paulo, o que você fez?
- Oi, Ana, me chamo Paulo, você não me conhece, mas eu conheço você e não é pouco. Eu tô aqui com o bundão do Henri, e ele tava falando pela centésima vez sobre você, e eu decidi que tava na hora de você saber. Tô cansado de ouvir ele se lamentando de algo, sem nunca ter tentado. E isso que você ouviu foi ele falando de você. Pode garantir que ele não vai dar um murro no meu saco? Porque a cara que ele tá fazendo não é muito amigável.
- Passa pra ele, por favor?
- Toma.
- Oi, não, já tirei do autofalante. Mais ou menos, quer dizer, sim... Desculpe, sei que tá tarde, ele não deveria ter ligado. Amanhã? Okay. Boa noite.
- O que ela disse?
- Quer falar comigo amanhã.
- AÊÊÊÊ.
- Aê, o que, cara? O que eu vou fazer?
- Vai falar com ela, dizer o que tô cansado de ouvir.
- E depois?
- Depois você escuta o que ela vai dizer.

(...)

2 comentários: