RELACIONADOS



categorias

21 de janeiro de 2019

Aquela velha opinião sobre o Amor



Você pode ler ouvindo Titãs - Epitáfio



Eu gostaria de escrever sobre isso sem expressar a minha velha e simples opinião, mas, às vezes, eu penso que em algum momento, as pessoas vão ler e entender exatamente o que eu quero dizer quando eu digo que o Amor é a solução para tudo.

Anos atrás, eu escrevi um texto que tomou uma madrugada inteira, sobre diversos problemas sociais, foram parágrafos e parágrafos, (eu até escrevi um livro embasado completamente nesse texto) com a brilhante conclusão que apresentei no início: é tudo por falta de Amor.
Parece fantasioso demais, não é?

Nós também fizemos isso com o Amor, nós o banalizamos. Fomos postergando, até chegarmos ao que temos e somos hoje, somos pessoas carentes, egoístas, cheios de medos e frustrações, somente porque nos permitimos mastigar o Amor e cuspi-lo. Tudo que nos faça sentir alguma coisa boa, ou só a pequena sensação de estar vivendo um amor nos assusta, porque está totalmente fora da nossa realidade atual.

Sei que você, que me lê agora, pode achar até religioso demais, ou não sei o que muitas pessoas pensam quando se fala sobre a Bíblia (outro assunto, que eu gostaria de deixar para depois, até porque eu prometi a mim mesma não falar sobre religião, porque gera muitos conflitos), mas eu gostaria que você lesse, por um instante, e refletisse sobre isso encarando-o de forma simples, sem se fechar para a verdade que ele traz.

Então, é o primeiro Coríntios, capítulo 13. Como sabemos, é um texto muito cantado, e lido por muitas pessoas, mas eu gostaria de fazer a minha parte e te dar essa oportunidade de ler ou lê-lo novamente, pra ver se conseguimos chegar a mesma conclusão:

1 Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, e não tivesse amor, seria como o metal que soa ou como o sino que tine. 2 E ainda que tivesse o dom de profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência, e ainda que tivesse toda a fé, de maneira tal que transportasse os montes, e não tivesse amor, nada seria. 3 E ainda que distribuísse toda a minha fortuna para o sustento dos pobres, e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, e não tivesse amor, nada disso me aproveitaria. 4 O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não trata com leviandade, não se ensoberbece. 5 Não se porta com indecência, não busca os seus interesses, não se irrita, não suspeita mal; 6 Não folga com a injustiça, mas folga com a verdade; 7 Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. 8 O amor nunca falha; mas havendo profecias, serão aniquiladas; havendo línguas, cessarão; havendo ciência, desaparecerá; 9 Porque, em parte, conhecemos e em parte profetizamos; 10 Mas quando vier o que é perfeito, o que é em parte será aniquilado. 11 Quando era menino, falava como menino, sentia como menino, discorria como menino, mas, logo que cheguei a ser homem, acabei com as coisas de menino. 12 Porque agora vemos por espelho em enigma, mas então veremos face a face; agora conheço em parte, mas então conhecerei como também sou conhecido. 13 Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três, mas o maior destes é o amor.
 
Você sente a delícia e a tortura que esse texto provoca? É tão absurdo e verdadeiro, que me baqueia, porque como pode algo que parece tão surreal, impossível de ser tocado e manuseado ser a solução de tudo?

Em algum lugar nos documentos dos direitos humanos, meio perdidinho, sabe, está lá o direito ao amor, mas eu gostaria que também estivesse, mesmo que fosse perdido também, nos nossos deveres, amar. Porque parece que a gente leva mais a sério quando é algum tipo de lei, que está escrita em algum papel patenteada por algum nome reconhecido, mesmo que ainda assim nós desrespeitemos tanto todas as leis e afins.

Soa um pouco triste, mas, pra mim, está muito claro porque Deus estabeleceu em um dos mandamentos que amassemos uns aos outros. Ele sempre soube mesmo de tudo, não é? Nós realmente sempre fomos muito difíceis.

Hoje é tão complicado você sorrir pra alguém de peito aberto, você nunca sabe como a pessoa vai receber seu gesto, é tão complicado ter sonhos porque a realidade mói um por um, é difícil até encontrar alguém que você possa amar, livre de pudores e preconceitos, porque tudo hoje em dia é resumido no “meu”. Antes de mais nada, eu preciso me beneficiar com isso, eu preciso estar bem, e de maneira alguma alguém pode estar um pouquinho melhor que eu, ou discordar e pensar de forma diferente da minha. A gente não sabe respeitar o espaço, a diferença e o lugar que cada um tem no mundo.

É tudo desigual, complicado, seja nas nossas relações pessoais, como em sociedade. Muitos têm pouco, poucos têm muito. Isso falando também sobre afeto, abrigo, respeito, e amor.

E, mesmo ciente de tudo isso, nós não conseguimos enxergar que não somos nada sem o amor. Não importa o saldo na minha conta poupança, não importa a quantidade de saltos ou sapatos e roupas no meu guarda-roupas, não importa se tenho um teto luxuoso ou um simples e lilás, não importa se tenho muitos amigos, nem se tenho tempo suficiente para beber e me divertir com eles, não importa nada...
Se eu não tiver o Amor.

Consegue entender por que tudo é tão complicado?
Só é difícil viver, porque não sabemos amar.



P.s.: Eu gostaria que daqui alguns anos eu pudesse ler esse texto e sorrir, feliz de as coisas terem mudado, mas como eu não tenho garantia, nem certeza de nada, fico aqui com as minhas esperanças, e com uma forte sensação de que essa é a minha missão no mundo: mesmo quando for muito difícil e mesmo que ninguém me ouça, e mesmo que eu continue parecendo só uma mulher, com espírito de menina boba que acredita em contos-de-fadas e que sonha muito alto, eu preciso dizer as pessoas que o amor existe sim, e está aí para todos.
Essa é a verdade mais imutável e inegável que existe: o amor é real, e também a solução para tudo.

6 comentários: