RELACIONADOS



categorias

30 de janeiro de 2019

Você me pegou sem #C

Esse é o John Mayer, mais conhecido como homão da p****! <3


Ontem a noite, enquanto me arrumava para sair, eu não imaginava que essa coisa toda iria acontecer, mas, eu, apesar de tão autossuficiente e destemida, sentia uma queimação dentro do peito, como se o coração crepitasse, ansioso por algo, e no instante que entrei na boate e senti os sons preenchendo cada espaço da casa e cada pedacinho de mim, eu comecei a entender, e foi aí que eu te olhei.

A sensação foi como estar no lugar certo, na hora certa, tocando provavelmente a minha mais nova música predileta, usando um batom vermelho sangue que fez tudo parecer ainda mais certo, e eu esperei, pacientemente, pela minha oportunidade.

Então, você me olhou e eu te olhei, você me viu e eu te vi, você me enxergou, quando todo mundo ali olhava para você, tocando incrivelmente bem o piano, eu sentia como se com as notas você tocasse os meus lábios, esperando o momento certo para aumentar o tom, como se mostrasse o desejo pulsante aumentando de me beijar.

Eu te olhei e me achei, no meio daquela multidão de pessoas, sob as luzes vermelhas da boate, você brilhava mais que o Sol pra mim. Eu nem sabia que estava perdida, até ver você com seus jeans apertado, e com seus olhos fechados, sorrindo, viajando completamente nas sensações que o violão te proporcionava, eu me achei no momento que te vi, e todo o resto ficou claro para mim, mesmo que tudo ao meu redor tenha se transformado em um blur, eu pude entender a sensação que queimava no meu peito de quem sempre quis mais. Eu precisava te encontrar.

Seria um pouco louco eu admitir isso agora, enquanto me despeço de você, depois de ter deixado você despir meu corpo e alma, sendo que eu te vi pela primeira vez ontem, e talvez você nem me ligue amanhã. Mas, é desse jeito que me sinto, será que eu vou parecer muito louca ou desesperada? Ou será que você vai entender a minha intensidade?

Eu não sei se foi porque você me tocou enquanto dedilhava o violão, foi incrível a forma como você parecia estar lendo cada traço de mim, ou quando me desenhou com aquele solo apaixonante na guitarra, ou se foi quando me pegou em cada nota do piano em dó, ré, minha vontade de você é irredutível.


Talvez eu tenha me apaixonado por você instantaneamente, não é nada sobre amor (o que pode soar um pouco estranho quando tudo pra mim é sobre amor), mas sim sobre como me senti quando você me pegou. E isso bem antes de você me colocar contra a parede e me beijar doce e gradativamente, enquanto suas mãos conhecem as curvas do meu corpo. 


Eu acordei do seu lado, e eu nem costumo fazer isso, sabe, mas com você eu quis, e sinto que é exatamente para aqui que eu devo voltar, o meu lugar favorito, a partir de agora. Porque a sua gargalhada faz o som mais gostoso que eu poderia conhecer, porque quando estou nos seus braços é aonde me sinto salva, mesmo não precisando ser salva.

Talvez seja culpa da minha ressaca moral, ou eu somente esteja pensando em como você me pegou em fa, sol, la.. Se suas mãos continuarem me tocando assim, vai ficar ainda mais difícil de manter a razão, e ir embora, porque eu só sei que é aqui, no seu colo, sentindo o seu cheiro e desejando poder morar na extensão que existe entre eu e você, e virar um nós, e nunca sair de pertinho de você.

Talvez seja por ter adorado o gosto de vinho rosé que seus lábios têm, ou porque você seja completo demais para eu não me transbordar inteira em você, porque sua boca no meu corpo me mostrou que todos os seus espaços estão preenchidos, prontos para mim. Não sei se você já tinha se sentido assim, mas eu nunca, e você me pegou sem . E eu nem estou falando sobre como você fez esse quarto parecer pequeno para nós dois, essa noite, mas sobre como você me fez parecer grande mesmo sendo tão pequena.

Talvez eu tenha me encantado, é muito fácil se apaixonar por você, eu não seria a primeira, nem a última, mas eu gostaria que você lembrasse de mim de outra forma, como eu vou lembrar de você: uma parte de mim que me derrama por todos os lados, que me transborda. E caso as fotos que tiramos juntos na cama sejam as únicas coisas que sobrem, espero que você as olhe e pense em mim assim, inteira, sua, como eu fui essa noite.

- Posso te levar em casa? – Você me pergunta, com um sorriso muito convidativo, assustando meus pensamentos, enquanto me observa da cama.
- Você tem certeza?
Você se aproxima de mim, e ajeita uma mecha do meu cabelo atrás da orelha, enquanto diz:
- Tenho, eu quero garantir que vou poder matar essa sensação louca sempre que sentir sua falta.

(...)
________________________________________________________________________________


Esse texto tem continuação! Aguarde até a semana que vem! 

4 comentários: