RELACIONADOS



categorias

4 de abril de 2019

FAQ: sobre mim, o blog e meus livros!


Começo esse post com essa foto maravilhosa, porque eu sou bem palhaça hahaha!

Como vocês estão? Tudo bem?
Eu espero e torço que sim!

Bom, essa foto é do evento do livro Ela Só Quer Viajar, que foi em 2016, eu estava terminando de organizar os últimos detalhes e estava com essa touca super mega fashion (claro que não) na cabeça, porque tinha feito corte novo e ninguém sabia, e tinha acabado de sair do salão.

Quis colocar ela para desconstruir um pouco essa imagem virtual que a gente acaba criando quando se torna uma figura pública, porque as pessoas acabam esperando que sejamos perfeitos e não cometamos deslizes, mas nós somos humanos, como qualquer um, afinal. Mas, então, esse é um tema para depois.

Hoje vou responder as perguntas mais frequentes que me fazem, até para esclarecer um pouco algumas coisas e falar um pouco mais sobre meu trabalho.

Há quanto tempo você escreve?

Eu escrevo desde pequena, as minhas matérias favoritas no colégio eram português, redação e artes, e eu sempre gostava de pensar alguma coisa e organizar no papel, fosse para contar como foram as férias, para escrever uma carta (sou amante das cartas desde pequena, minha avó e pais sabem bem disso), ou para desabar quem eu sou no papel.

Como você conseguiu publicar seus livros?

Através de um amigo virtual que tenho há anos, o Júnior, ele havia colocado um anúncio na capa do seu Facebook sobre o evento de lançamento do seu livro, e eu comentei parabenizando-o, então começamos a conversar sobre como ele conseguiu e ele me indicou a Editora Multifoco, falou sobre o trabalho deles, como foi o processo. Um dia depois, mandei o texto "Maquiagem Escarlate" do livro "Gliterize" para eles, e em poucos dias recebi o e-mail da editora, informando que o texto havia sido aprovado e solicitando "a obra completa".
Foi um susto pra mim, porque embora gostasse de escrever e tivesse esperança de conseguir, não imaginava que seria um sonho real. Juro que só acreditei no momento que assinei o contrato com a minha mãe, e quando recebi o aviso do correio que os livros tinham chegado.


Livro "Gliterize" publicado em 2015, editora Multifoco.

Quanto tempo demora para escrever um livro?

Depende. Por exemplo, o meu primeiro livro (Gliterize, 2015) foram cinco anos até finalizá-lo, primeiro porque quando eu escrevia, não fazia ideia de que eu estava escrevendo um livro, e segundo porque quando peguei para ler tudo e revisar a história e o que tinha escrito, refiz e editei muitas coisas. Já o meu segundo livro (Ela Só Quer Viajar, 2016) demorei apenas seis meses para escrever, finalizar e revisá-lo, e, inclusive, a arte de capa deste livro fui eu que fiz!
Com tempo desenvolvi técnicas de escrita, estudei mais, e fui descobrindo a minha identidade como escritora, do que gostava, a forma que escrevia, e o fato de eu ter desenvolvido esse autoconhecimento, as palavras fluíram com muita facilidade.

Como é o processo de publicar um livro?

Bastante intenso e complicado.
Primeiro, você precisa revisá-lo várias vezes, de preferência com algum profissional que você confia, lê-lo e mostrar a pessoas que você gosta e acreditam no seu potencial para poder ouvi-las, ter opiniões e interpretações diferentes. Segundo, você começa a caça a alguma editora que tenha o seu perfil e esteja recebendo originais para avaliação. Quando as respostas começam a vir, você precisa ponderar sobre as propostas, qual a melhor, a que fica boa para você e para seu público.

Tem também as formas de divulgação que são tantas e variadas, eu por exemplo, nos eventos dos meus livros tive o alcance das pessoas da minha cidade e amigos de cidades vizinhas, então, uma das coisas importantes se você quer que seu livro seja lido por muitas pessoas, você precisa fazer seu nome e vender seu produto na internet, usar as redes sociais e o Marketplace para mostrar seu produto.

Como no meu caso, antes eu só queria que algumas pessoas me lessem, saber que pelo menos, duas ou três tinham meu livro na cabeceira da cama ou na sua estante de livros, foi o suficiente pra mim. Então, eu estou subindo um degrau de cada vez, sabe. Fazendo as coisas no meu tempo.
Hoje eu tenho pessoas me lendo no blog, no Instagram, na minha página do Facebook, no Twitter, no Tumblr, em sites de escritores como o Recanto das Letras, o Sweek, o Wattpad, o Clube de Autores, até no Whatsapp e, muito em breve no Google Play!

(P.s.: as coisas que escrevi aqui são baseados na minha experiência, na minha realidade).
(P.s.2: em breve, a pedidos, vou fazer um post explicando todo o processo de publicação, para vocês saberem um pouco mais sobre como funciona tudo).



Livro "Ela Só Quer Viajar", publicado em 2016, Editora Multifoco.


Foi muito caro para publicar?


Não, pois trabalhei com a Editora Multifoco em forma de consignação, que é um tipo de patrocínio, a editora investiu em mim, e eu recebi o valor referente aos direitos autorais.

Você ganhou muito dinheiro com os livros?

Não, gente, eu não ganhei muito dinheiro com os livros. Como falei na pergunta anterior, só recebi referente aos direitos autorais. Porém, o que realmente teve valor pra mim foram as experiências dos eventos, o carinho das pessoas comigo e admiração que demostraram por mim, inclusive os depoimentos delas de como as ajudei com alguma situação.

Quem revisa seus textos?

A maravilhosa Sara Oliveira, que é um anjo na minha vida e sou grata pela forma que ela lê o meu trabalho e o carinho que tem comigo.

Como é a experiência de ter um blog?

Vamos considerar que no momento que estou preparando esse post são quase uma hora da manhã.

Então, é um pouco cansativo, e ao mesmo tempo, realizador. Porque eu vejo o retorno de vocês para as coisas que escrevo, os leitores fieis, os novos visitantes, que graças a Deus, tem aumentado. As ideias que tenho e penso em compartilhar com vocês. No início o blog era somente para divulgar os meus textos, porém conforme o tempo foi passando, vocês me mostraram a necessidade de ver um pouco mais, saber um pouco mais sobre mim, trazer conteúdos construtivos pra vocês, ideias diferentes, dicas... Vocês até me inspiraram a criar um projeto só para escrever sobre a história de cada um de vocês aqui.

Também tem a parte que faço novos amigos, como quando organizei o Projeto 16 on 16, em que conheci pessoas incríveis que revolucionaram a minha vida como blogger, ou como quando participei de um sorteio de layout (a imagem e organização atual do blog, a forma que vocês o visualizam) e me empenhei até ganhá-lo, foi mais um passo que dei e um carinho que fiz por vocês, e estou trabalhando para mudá-lo também, porque já tem quatro anos que o uso aqui no blog.

Gostaria de salientar que esse ano tem mais projetos aqui no blog! Posso adiantar sobre o projeto "30 dias de escrita" que comecei dia primeiro, agorinha, no Facebook e em breve o trarei para o blog!
E sobre um novo projeto que está no papel há bastante tempo, mas que começa ainda nesse semestre! Muitos de vocês adoram quando eu leio as coisas que escrevo... e se eu começasse a musicalizar a minha poesia?

Quem edita seus posts?

Eu mesma. Gosto de deixar tudo do meu jeitinho, sabe. Com a minha cara. Então escrevo tudo, anoto minhas ideias, acho que o trabalho mais árduo é encontrar as imagens que casem com os textos, e que eu possa usar, porque tem todo o trâmite de direitos autorais para o próprio Blogger ou o Google. São detalhes pequenos, mas que fazem muita diferença.

Quais são os três maiores desafios no seu trabalho quando se trata de divulgar e ganhar espaço na internet?

As ferramentas de pesquisa, o alcance das publicações no Facebook (que é minha principal forma de divulgação) e patrocínio.
Acho que a maioria dos desenvolvedores de conteúdo colocariam a concorrência como o primeiro item aqui, porém, eu sou adepta da ideia de que a internet é um mundo imenso e tem espaço para todo mundo, basta sermos autênticos e fazermos tudo com empenho.

Se você tivesse recursos infinitos e pudesse resolver qualquer problema em um piscar de olhos? Qual seria? Como resolveria?

Se me perguntassem isso semana passada, eu diria que seria a falta de amor no mundo. Mas, tive uma crise de intensidade noite dessas, em que estava rezando pelo mundo e refleti que Deus poderia, facilmente, resolver todos os problemas do mundo de uma noite para o dia, todos nós acordaríamos renovados em nossa essência de amor, mas não se trata disso, sabe, é tudo sobre nós termos o nosso livre arbítrio e amar porque amamos, não por obrigação. Conversei com uma amiga sobre isso, e ela me fez refletir quando disse que "Deus não quer que estejamos com Ele por obrigação, mas por amor", então, é isso. Essa luta é individual, de cada um, eu não posso fazer com que o outro mude, mas eu posso rezar por ele e pelo mundo, o que tem feito bastante nos últimos meses.

Então, se eu tivesse recursos infinitos eu resolveria a desigualdade social no mundo, a fome, a miséria, porque quando eu paro e penso sobre o mundo e as coisas que nós poderíamos fazer de forma universal, acho que é a nossa obrigação em nome da humanidade de ajudar as pessoas desfavorecidas na sociedade enquanto não resolvemos a raiz do problema.

O que te motiva?

Por algum motivo, estou achando essa pergunta um pouco difícil nesse momento, talvez seja o sono e a coluna gritando, mas, o que me motiva são as diferentes formas e reações que vocês tem ao que escrevo, o carinho e admiração de vocês, e,  em especial (porque se eu não gostasse do que faço eu nunca publicaria), as minhas reações quando termino de escrever algo, seja o alívio quando estava doendo, ou o êxtase por poder explicitar tantos sentimentos que, às vezes, a minha moral e ética me resguardam, ou quando eu leio algo que escrevi e penso "pqp! fui eu mesma quem escrevi isso?". E acho também que se trata da minha evolução, seja sobre quando eu escrevia bilhetinhos e escrevia "eu te-amo" com hífen, quando eu era pequena, ou sobre como desenvolvi os meus poemas cheios de palavras difíceis para os textos, os contos, as cartas que tanto amo, até sobre a minha habilidade com artigos e trabalhos acadêmicos, e em crônicas, essa última que fala tanto sobre mim e a minha forma de ser.


Alguns de vocês no evento de lançamento do livro "Ela Só Quer Viajar" em 2016.


Por que você escreve?

Porque é isso o que eu respiro.

Então, é isso, espero ter esclarecido as dúvidas de vocês, e podem aguardar por todas as promessas desse post, pois elas já são reais!

Nenhum comentário:

Postar um comentário