31 de julho de 2019

Eu te amo

6 comentários
@_iasmimsantos


Eu te amo.

Amo seu reflexo no espelho, amo o castanho dos seus olhos, a sua sobrancelha de pelos finos, a sua boca falhada no desenhinho do coração, as suas bochechas cheias, o seu nariz de pulgista, o seu cabelo, a tua pele morena pintada pelo Sol, eu amo você, o seu corpo, o seu coração, amo quem você é.

Com todos os seus defeitos, seus erros, suas falhas, as suas marcas e cicatrizes, desde as manchinhas e arranhões, até as tuas lembranças e cada acontecimento que te marcou, machucou, e transformou, afinal, tudo isso te fez quem você é.

Eu amo cada marca em você, uma por uma, cada cicatriz e ferida aberta, porque todas elas tiveram um peso enorme em você, e isso é a consequência da sua intensidade e da sua forma de ver o mundo, as coisas e as pessoas, porque você sempre espera o melhor, e se fode de formas inimagináveis por isso, que admiro a tua esperança no lado bom das coisas, principalmente das pessoas, já que estas te machucaram tanto.

Eu amo até a tua autodefesa, o fato de que você também já machucou algumas pessoas, mostra os teus erros, a tua imperfeição, a tua capacidade de superar quando se admite falha, fraca e humana e o seu peito aberto ao pedir perdão, em especial quando se perdoa por tudo que viveu e te machucou, e aceita que tudo bem, foi preciso passar por essas coisas, elas te fazem quem você é, e eu te amo por isso.

Eu amo os seus olhos expressivos e o seu sorriso espontâneo, mesmo depois do choro vulgo chuva torrencial, amo as suas mãos que tanto me tocam, me escrevem, me descrevem, me expõem, me deixam inteira e nua no papel, mãos que me conhecem, que tanto trabalham e tanto amam e sabem exatamente como demonstrar.

Eu te amo até quando você erra, porque você aprende, tira lição de cada pequena coisa, mesmo quando erra consciente e inconsequente, isso é um pouco sobre como você é, livre, inteira e entregue.

Amo quando você se constrói e se pinta inquebrável, indestrutível e impossível, enquanto faz alguma maquiagem e arruma seu cabelo, ou até mesmo de cara lavada você enche o peito e dá a cara a bater, porque, às vezes, você consegue sim ser inquebrável, indestrutível e impossível.

E eu amo quem você é. Amo quando você se decompõe, a sua desconstrução, como você continua sendo a melhor versão de si mesma quando está em um salto de madeira de quinze centímetros ou descalça, pisando na grama, e sentindo a energia que a Terra te transmite, e sentindo o vento balançando o seu cabelo.

Amo as suas dores, respeito cada uma delas, amo o seu corpo e como você tem o efeito sanfona, de emagrecer e engordar com facilidade, e tentar sempre ficar bem, seja com umas gordurinhas a mais ou com cada pedacinho no lugar, como se estivesse totalmente vestida, ou nua, com uma silhueta desenhada no espelho do teto do teu quarto, onde você se vê, se enxerga, e isso é muito mais do que apenas sobre o seu corpo físico.

Sou eu que te amo mesmo nos seus piores dias, eu cuido de você e gostaria de poder colocar em uma redoma, quando está tão frágil e difícil de lidar, assim você não se magoaria, nem a mais ninguém, mas está tudo bem, isso é o que nos faz humanos, a nossa fragilidade e suscetividade ao desconhecido e a outrem.

Mas, o que te faz humana também é a sua força, a sua raça, a sua luta, e o que te faz tão diferente de qualquer outro, é o seu coração, a sua essência, quem você é, e somente você sabe como é ser você, e é por isso que eu me amo.

E, principalmente por isso, eu sou grata.

_________________________________________________________________________________

Sinto Muito,
Me perdoe,
Eu Te Amo,
Sou Grato.

20 de julho de 2019

Eu me engoli

0 comentários
Via Tumblr/ Essa foto é sua?


Eu deveria estar no meu home office vulgo minha cama na companhia dos meus cadernos e papéis de carta, gastando todas as catorze ideias que listei sobre o que escrever, mas, estou cantando músicas enquanto tomo banho, sinto a água descendo na minha pele, e penso em como é tão complicado ser assim, sentimento puro, intenso e entregue.

Porque nunca ninguém entende, e todo mundo sempre julga, porque não sente como eu sinto.

Eu ativei o modo sad girl, e dei play na minha playlist super bad só para tentar exorcizar esse sentimento de mim, porque já o alimentei por tempo demais, ele cresceu tanto que está quase me engolindo inteira.

Enquanto organizava alguns documentos, encontrei um antigo mapa cardíaco do meu futuro que fiz anos atrás em uma dinâmica do trabalho, e eu percebi que tenho feito exatamente as coisas que eu queria fazer. “Mapa cardíaco do meu futuro” porque o essencial era que eu sempre colocasse meu coração em tudo que eu fizesse, e eu o fiz. Em tudo. Inclusive em relação a você.

Acho que por isso está sendo tão complicado levar as coisas de forma tão racional agora, porque eu coloquei meu coração inteirinho nisso que eu inventei, desejei e sonhei pra nós dois, e está sendo complicado encarar a realidade de que não importa o tamanho ou a intensidade do que eu sinta, mil vezes zero será sempre igual a zero.

O que sinto está quase me engolindo porque continuo pensando nas possibilidades, no que poderíamos ser se você também se permitisse, a forma como eu cuidaria de você se você me permitisse entrar e te bagunçar inteiro, virar sua cabeça e coração pra baixo, só pra você ver do que eu sou capaz quando eu reorganizasse tudo com amor em cada cantinho de você.

É louco, eu sei, mas estou ouvindo músicas como die in your arms e young and beautiful e cantando-as como se fossem para você, completamente boba e fora da realidade.

O sentimento já está me mastigando, e você nem pode saber do meu atual estado, deitada na cama, de cabeça pra baixo, com uma camisa de botões, meias até o joelho, observando meu mural de inspiração, e encarando o guardanapo com a marca de batom que eu fiz só pra te dar, e não o fiz, talvez nunca o faça.

Em mim, além disso tudo, você me deixou uma interrogação, por causa daquele bilhete em que escreveu seu nome com minha caneta vermelha, a data e eu lembro claramente da tarde, do momento exato, e do seu sorriso olhando pra mim quando escreveu o “pra sempre...!” logo embaixo. Não há nem um agora pra nós dois, como haveria um pra sempre?

Talvez você tenha se assustado, é normal, as pessoas não estão acostumadas em conhecer pessoas como eu, elas sempre fogem. Acho que você percebeu a proporção que a coisa toda estava tomando, e ficou com medo, ou sei lá o que aconteceu. Qualquer coisa aconteceu e você foi embora, antes mesmo de tentar.

Pode ser uma forma de me poupar de um sofrimento de ter só metade de você como o John Mayer foi para a Taylor Swift, eu realmente não aceitaria só metade de você.

Quer saber mesmo?  Essa sou eu sendo engolida pelo o que eu inventei e me deixei sentir, pelas possibilidades que nunca existiram e pouco provável que um dia vão existir algum dia.

Só estou escrevendo, gastando tempo, palavras, dedos e tinta, tentando pôr pra fora tudo isso, apagar sua existência da face da terra, do meu mundo, deletar você de mim. Mas, você têm sido como o sol que me acorda todos os dias, e não, você nem está na minha cama, eu não acordo com a cabeça no teu peito quente, aninhada na tua clavícula, você só está aqui dentro de mim.

E eu me engoli.

17 de julho de 2019

Me Perdoe (MANUSCRITO)

0 comentários



"Eu gostaria que você me perdoasse.
Pelos erros, falhas, defeitos incontroláveis e como eu sempre permiti que os sentimentos fossem a nossa voz.
Tudo bem ser alguém que sente muito, que sente tudo de peito aberto e olhos fechados, tudo bem acreditar sempre no melhor das pessoas, o erro quem comete não sou eu, não somo nós. E tá tudo bem.
Nós sempre soubemos que precisaríamos lidar com os nossos sentimentos, a profundidade deles e as consequências, afinal, é inevitável se queimar quando temos um coração feito de fogo.
Me perdoe também pelas coisas que permitimos que as coisas fizessem conosco, me perdoe pelas vezes que deixei o sofrimento nos cegar e pelas vezes que deixei que as coisas e situações anulassem a nossa essência.
Mas, acima de tudo, eu quero te lembrar o quanto eu te amo e estou aqui para qualquer coisa, porque mesmo com tantos machucados, cicatrizes e feridas abertas, você ainda é tão linda, ainda é você. E eu sou grata."


___________________________________________________________________________

Sinto muito,
Me perdoe,
Eu te amo,
Sou Grata.

Com esse texto inicio o Projeto Manuscrito, que é sobre a necessidade de deixar que nossas mãos falem - e escrevam, porque a tinta da caneta e o papel sempre foram meus melhores amigos! <3

15 de julho de 2019

Sinto muito

5 comentários
adriana.blog.br
Você pode ler ouvindo Evanescence - Forgive Me


Eu te magoei, mais do que eu gostaria e muito mais do que eu achei possível magoar. Tantos erros, sentimentos explosivos, orgulho, arrogância, medo, dores... eu te magoei até por estar magoada, te machuquei por ter sido magoada.

Teu corpo ainda tem cicatrizes, como tem também a tua pele, o teu coração e a tua alma, cheinha de marcas, eu sinto muito, como sempre senti, inconsequente, e agora tento recolher os pedaços de você que eu mesma quebrei e permiti que quebrassem, porque tudo o que fizeram comigo foi porque eu permiti, e tudo que fazem conosco é porque permitimos, desculpas por não ter tomado as rédeas quando estive solta demais, por não ter colocado os pés no chão quando a minha cabeça estava erguida, nas nuvens.

Eu sinto muito até por precisar pedir perdão pelos meus erros e o tanto que te machuquei, mas se não fosse isso não teríamos aprendido tanto e crescido da forma que crescemos.

Compreendo a sua autodefesa, o seu pavio curto e o “bateu-levou”’, mas sinto muito porque você estar assim hoje é por conta de tudo que aconteceu, por falta de instrução, por não saber, ter que aprender na raça e por achar que está certa em relação a muitas coisas, porque o mundo que você construiu parece mil vezes melhor quando as coisas acontecem exatamente como você imagina, gostaria e vive.

Eu sinto muito até pelos solavancos que você está levando para acordar e viver o mundo real, porque nada é esse mundinho cor lilás que você sempre imaginou, nada é como queremos e as coisas acontecem totalmente fora da nossa alçada, porém é preciso continuar vivendo, independentemente de qualquer coisa e apesar de, e para isso você precisa se libertar de tudo que te atrasa, te puxa pra trás, te machuca e te magoa, por isso eu quero que você...

Me perdoe.

_________________________________________________________________________________

Sinto muito,
Me perdoe,
Eu te amo,
Sou grata.

11 de julho de 2019

Novo layout, foco e a new me!

0 comentários


Olá, como vocês estão? Tudo bem?
Espero de coração que sim, e se não estiverem e eu puder fazer algo para ajudar, não hesitem em falar comigo!

Gostaria de começar expressando a minha gratidão.

Eu agradeço, acima de tudo e imensamente, a Deus por todas as coisas que aconteceram comigo, agradeço pela honra de ser sua filha, por poder chamá-lo de Pai e por quem eu estou me tornando, por não ser mais quem eu era, nem a anos, nem a dias atrás. Sou grata pelo amor, pela saúde, pela luz, pela proteção, pela guarda, pelos ensinamentos, por acreditar na minha capacidade de ser sempre a minha melhor versão, por todos os anjos que Ele colocou na minha vida, sou grata por tudo.

Agradeço a vocês por tudo: pelo apoio, carinho, atenção, por todo o suporte que vocês têm me dado, ao longo desses cinco anos. 

Eu publiquei o meu primeiro livro, vocês estavam lá.

Eu criei o meu blog, vocês estavam aqui, quando eram poucas visualizações ou quando vocês começaram a sair de cada cantinho possível do mundo, e eu nunca imaginei que poderia ter um alcance tão grande como o que eu tive, nem de conquistar todos esses coraçõezinhos que conquistei.

Profissionalizei o meu blog quando participei de um sorteio da webdesigner Stephanie Almeida e ganhei um layout totalmente personalizado, o "Ela Só Quer Viajar" tinha meu dedo em cada coisinha. 

Eu publiquei meu segundo livro, e adivinhem quem estava comigo? Isso aí, vocês. E eu não imaginava que teriam tantas pessoas no evento de lançamento como teve.

E quando eu falo de "vocês", estou falando dos meus pais, irmãos, avós, primos, amigos, patrocinadores, leitores (meus queridos presentinhos virtuais), os que conheço ou não, eu sou grata a todos vocês. 

Eu nunca imaginei que alcançaria pessoas de locais como França, Portugal, México, Índia ou Estados Unidos, mas eu alcancei. Eu nunca imaginei que alguém me patrocinaria, pagaria pelas coisas que eu faço, sabe? Achei que isso só acontecia com os influenciadores digitais famosos, com milhares de seguidores, mas aconteceu comigo. Muito menos que eu ouviria pessoas dizendo que o que eu escrevo as ajudou sair da depressão, ou enfrentar momentos difíceis na sua vida, mas aconteceu comigo... Não tem como eu não agradecer.

Os últimos anos foram difíceis, realmente não tive como manter o foco no meu trabalho que faz tanto eu ser quem eu sou: a escrita. Foram meses de bloqueio criativo, ou meses sendo engolida pela rotina ou pelos meus próprios sentimentos, que eu precisei deixar tudo no automático para não deixar vocês aqui sem me ler, e peço desculpas pela pouca atenção e agradeço por permanecerem comigo.

Eu me despedi ontem do antigo layout do blog com lágrimas nos olhos, porque com isso, me despedi da antiga eu, a que vocês conheciam, e eu mudei tanto que eu vi a necessidade de refletir aqui para vocês conhecerem a nova eu. Apesar de amar com todo coração aquela "roupinha" que me vestia online, eu precisei trocá-la, porque ela não cabia mais em mim.

Estou reformulando toda a estrutura de posts do blog, os temas, sobre o que escrevo, já escrevi, transformarei meu blog no depósito de sentimentos e coisas mais lindas que eu conheço e já vi, para que vocês possam ver também.

Tem acontecido muitas coisas boas comigo, abri a minha lojinha online no Instagram, a Flor F Cores (breve eu faço um post aqui para vocês!), fiz cadastro no Kindle para começar a vender E-books e também estou produzindo mais um livro! 

Então, anuncio hoje, oficialmente, o novo layout e a nova eu, com todo carinho, amor e dedicação de sempre, mas com ideais e sonhos maiores e diferentes.

Abraço apertadinho,
Iasmim Santos.

6 de julho de 2019

Sem Destinatário #1

0 comentários
Via Tumblr



Eu queria você para ser o meu par de dança quando tocasse “Saga De Um Vaqueiro”, “Faroeste Caboclo” ou “Mirrors”, em especial se elas fossem tocadas em sequência, mesmo que sejam ritmos totalmente aleatórios.

Seria ótimo poder ficar um tempo a mais com teu corpo próximo ao meu, sentindo o cheiro do seu perfume bem de perto, e permitindo que você deixe fragmentos dele em mim, como sempre acontece.

Mas, eu gostaria que dessa vez eu não precisasse correr para tomar um banho, quando chegar em casa, porque sentir o teu cheiro em mim me machuca como uma ferida sendo aberta, depois de alguns dias cicatrizando.

É você quem eu queria do lado toda vez que o padre dissesse para pegarmos na mão um do outro enquanto rezamos o “Pai-Nosso”, e eu queria poder segurar tua mão toda vez que você me olha e eu preciso recuar o olhar para não me expor tanto, mesmo que o teu carinho de dedo mostre a sua compreensão.

Apesar disso (desse pouco que parece tão suficiente pra mim, mesmo que eu saiba que isso nunca foi suficiente), quando eu esqueço os batimentos acelerados do meu coração, ou a minha coluna arrepiando frio quando estou próxima a você, quando penso menos com o coração e vejo os fatos claramente, noticio quase em todas as capas de livros ou jornais, cadernos ou propagandas de televisão ou propagandas em redes sociais para que eu me lembre disso na próxima recaída. 

Eu não sou tão boba assim, não a ponto de esquecer os nossos erros, muito menos como você traiu a minha confiança e julgou minhas escolhas, meus sentimentos e o meu jeito tolo de ouvir muito o que meu coração diz.

Isso foi importante pra mim, porque pude ver que eu ainda continuo acreditando no melhor das pessoas, mesmo depois de tanto que eu vi, ouvi ou senti, a parte mais complicada é que o fato de eu ter confiado em você, foi como te dar o passe livre para fazer o que quisesse comigo e com meus sentimentos, como você fez.

Infelizmente, você fez literalmente qualquer coisa com o que eu senti, até hoje eu tenho partículas dos meus sentimentos presos na garganta, e somente às vezes e com muita dificuldade eu consigo vomitá-las.

Como esse carta sem destinatário, escrita porém nunca entregue. Queimada pelas chamas do isqueiro, e perdida nesse mundo imenso da internet.

*deja vu*