RELACIONADOS





À minhas "sisters"

21 de agosto de 2019

Via Tumblr



A sensação é como se a minha cabeça estivesse do tamanho do mundo de tão pesada que está, eis um dos sintomas da queridíssima TPM. Eu, por natureza, sou sensível, então meu psicológico e meu físico ficam extremamente abalados nesses dias.

A questão é que conforme o tempo passou, precisei aprender a engolir cada dor, tomar remédios e chás e ficar bem de qualquer forma, desrespeitando um ciclo tão delicado. Não posso me irritar, me chatear, não posso chorar por qualquer coisinha que eu vejo ou ouço, e poucas são as pessoas que reagem bem a minha necessidade imensa de carinho, maior que o normal.

Fui ensinada que crescer significa engolir tudo e continuar de cabeça erguida, como se estivesse tudo bem, como se eu fosse perfeita, não sentisse dor, tristeza, me magoasse, nem nada do tipo.

Fiquei embasbacada internamente quando estava conversando com uma amiga enquanto lavávamos a louça acumulada, ela estava falando como se sentia com tudo que estava acontecendo, as mudanças, a família, o namoro... as lágrimas encheram seus olhos e sua voz ficou embargada, mas, no mesmo instante ela engoliu em seco e começou a falar sobre outra coisa que não a machucasse tanto.

Em que momento das nossas vidas nos permitimos parar de chorar, engolir o choro quando está tudo desabando e temos alguém para desabafar?

Sei a necessidade de aprender a ser forte e usar as nossas dificuldades como gatilhos motivadores, nossos próprios e maiores desafios, mas nós somos de carne e osso e precisamos de alguma meia horinha que seja, chorando as pitangas no colo de alguma amiga, enquanto lava a louça, ou bebe algum vinho sentadas no quarto.

Nós precisamos do nosso tempo, termos nossos momentos.

Respeitar quem somos e a forma que nos sentimos, encarando cada situação, seja se mantendo firme e de peito cheio ou de coração dilacerado, sendo acariciado por nós mesmos, ou por alguém quem confiamos o suficiente para fazer o curativo nas nossas feridas abertas.

Quando nos permitimos deixar que o mundo, as coisas, as necessidades, rotina e etecetera, anulassem a nossa essência?

Não! Não! E não!

Está tudo bem não estar bem afinal, tudo bem querer mandar todo mundo pra casa do caralho, uma vez na vida, pode mandar, se quiser, a nossa mente nos dá a liberdade de fazermos o que quisermos, ou se quiser mandar de verdade, tudo bem também! Vai lá e faz!

Tá machucando? Doendo? Chora, pede colo, desmorona na frente de alguém, ninguém é fraco por isso, você já aguenta tanto. Tudo bem não conseguir sozinha, às vezes, tudo bem se você achar que não dá conta, pede ajuda, busca outra alternativa, não faz agora, procrastina, desiste, faz o que quiser!

Mas, se respeite, escute o seu coração, a sua intuição, a sua eu.

Ta tudo bem se emocionar recitando a música da Nina Simone pra suas amigas, tá tudo bem abraçar as mulheres que você conhece (e até as que não conhece) porque sabe que nós precisamos disso, saber que não estamos sozinhas, mesmo que, às vezes, você mesma se sinta só e "impertencente".

Tudo bem engolir o choro, enquanto lava a louça e sua amiga enxuga, mas tudo bem também se você quiser abraçar ela com as mãos cheias de espuma do sabão líquido, e chorar as pitangas que você nunca pôde comer.

E você nunca pôde sentir o gosto de muitas coisas, e você desejou tantas! Chora por isso, depois gargalha de insaciável por desejar sempre mais, porque você sempre quer mais, porque você merece mais, e você sabe. Você sempre soube.

Tá tudo bem, porra!

Se ninguém te entende, te conhece ou te ama como você merece, faça isso tudo por você mesma, porque você se conhece, só você sabe o que você vive, a sua estrada, por onde passou - os seus pés cansados, seja pelas trilhas em que percorreu descalça, ou de tênis ou de salto alto, seja lá qual foi a forma, pode até ter sido plantando bananeira com uma mão só! Eu não sei qual seu limite, nem do que você é capaz, mas sei que é de muito e eu acredito em você!

Não engole nada, a não ser que seja gostoso e você queira, tipo algum vinho a teu gosto, ou uma cerveja, um whisky, uma vodka, alguma bebida, ou comida, qualquer coisa, só engula o que você quiser e sentir-se bem com isso!

Solta uns palavrões se isso for significado de liberdade pra você, demonstra seus sentimentos, todos eles, seja os de amor ao ódio.

Seja sua, seja livre.

Seja "impertencente", e está tudo bem não estar bem hoje, nem amanhã, nem depois de amanhã.
Mas, tá tudo bem porque você se tem, isso é tudo! O seu mundo.

E, se quiser, pode me abraçar também.
Eu também estou aqui.
E também sou...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

IASMIM SANTOS
LAYOUT POR LUSA AGÊNCIA DIGITAL