RELACIONADOS





Resenha da série "Siren" da Freeform

28 de fevereiro de 2019




Siren é uma série de televisão da Freeform (rede de televisão americana da ABC – representante no Canadá), lançada em 29 de março de 2018, onde traz a história das sereias como nós nunca vimos antes. A série chegou ao Brasil, apenas três meses depois, sendo exibida pelo Canal Sony, às terças-feiras.

Com uma fotografia incrível e efeitos especiais extraordinários, a série foi escrita por Eric Wald, baseado em uma história dele juntamente com Dean White, dirigido por Scott Stewart, Larissa Ferdew e Emily Whitesell. A primeira temporada conta com dez episódios, cada um com, no máximo, quarenta e cinco minutos.

A trama acontece na cidade costeira de Bristol Cove, conhecida por sua lenda de abrigar sereias. A cidade fica de cabeça para baixo quando uma jovem misteriosa (Eline Powell) aparece e começa a destruir a pequena cidade pesqueira para procurar sua irmã capturada (Sibongile Mlambo). Os biólogos marinhos Ben (Alex Roe) e Maddie (Fola Evans-Akingbola) trabalham juntos para descobrir quem família este caçador primitivo do mar profundo vir a terra, e se questionam se há mais como ela lá fora.

Na foto temos: Xander (Ian Verdun), Maddie (Fola Evans), Ben (Alex Roe), Ryn (Eline Powel), Donna (Sibongile Mlambo) e Helen (Rena Owen).

No elenco nós temos: Eline Powell, como a queridinha Ryn, com seus olhos azuis claríssimos e sua pele branquinha; Fola Evans-Akingbola – como Maddie, a bióloga marinha que se torna uma grande amiga depois de um tempo; Alex Roe – como Ben, onde nós poderemos ver uma paixão ou obsessão se desenrolar por Ryn, depois que ela canta para ele; Ian Verdun – Xander, pescador e um dos extremos da série; Rena Owen – Helen, a velha misteriosa dona de uma loja de especiarias, que tem muitos segredos guardados; Sibongile Mlambo – Donna, a irmã de Ryn, capturada no início da série pelo governo; Chad Rook – Chris Mueller, amigo de Xander e Ben, também uma das vítimas das sereias; Aylya Marzolf – a incrível sereia Katrina, que ilustra perfeitamente a líder das sereias, e a guerra de poder entre elas; e Sedale Threatt Jr. – Levi, o incrível tritão, forte, lindo, negro de olhos azuis e submisso às vontades da líder.

Falando um pouco sobre a personagem principal, não poderiam ter escolhido atriz melhor, Eline Powel atua perfeitamente, desde os momentos em que  a Ryn é doce, meiga, até quando está furiosa com algo e sedenta por justiça, porque, para as sereias, é tudo sobre família e como protegê-la.

A série foi aclamada pela crítica como “a série de terror sobre sereias assassinas”, mas, é muito mais além disso. É possível ver cada detalhe da transformação da Ryn, tanto de sereia para humana, quanto ao contrário, desde o primeiro episódio, inclusive como os humanos reagem quando ela sai andando pela rua, completamente nua, até entender que esse era o motivo de as pessoas estarem olhando-na da forma que estão, e decidir pegar algumas roupas “emprestadas” no varal de uma cidadã de Bristol Cove.

Com todos os aspectos que a série nos traz, temos um novo olhar, uma nova perspectiva sobre a história das sereias, em especial no que tange ao assunto de que o governo sabe da existência das mesmas, e estaria capturando-as para fazer experimentos na tentativa de evoluir o ser humano, que é isso que acontece com Donna, a irmã de Ryn, a qual ela saiu do mar para procurar.

Um dos fatos mais extraordinários da série é quando Ryn explica a Ben (um dos biólogos marinhos) que quando elas estão dentro de água, tudo é caça “ou você mata, ou você morre”, mas quando estão em sua forma humana, elas conseguem discernir o certo do errado, como humanos fazem, a menos, é claro, que seja para defender a sua espécie.

Uma coisa muito interessante é que isso muda em relação a Ryn, depois de um tempo, porque ela desenvolve sentimentos pelas pessoas que estão ajudando-a com tudo que acontece, em especial Ben e Maddie.

Entre os pescadores e o governo, as sereias e os tritões procuram de, toda forma, sobreviver. Ataques, fugas, dor, sofrimento, guerra de poder... e mortes, resumem muito bem a trama. Levando em conta que, também, Ryn precisa lidar com a polícia no seu encalço por conta dos seus "pequenos" delitos.

Porém, no seu extremo, vemos também como as sereias, em especial, a Ryn se desenvolve no meio dos humanos, como ela descobre o que são sentimentos, como os humanos se relacionam uns com os outros e o que o seu canto pode fazer, porque, é claro que o canto da sereia não poderia faltar, muito menos o mistério entre a glória e o sofrimento que o mesmo pode causar.

Só para termos uma base dos extremos de Ryn, ela consegue ser doce a ponto de escolher o seu nome, assistindo um desenho animado com um bebê, e consegue ser fria a ponto de acabar com um cara que quis se aproveitar da sua aparente ingenuidade, no mesmo episódio.

E, por último, existe a importância de compreendermos o porquê de as sereias não saírem do mar, pensando no genocídio que suas ancestrais sofreram, depois que uma sereia se apaixonou por um humano, colocando em risco toda a colônia, e como os humanos reagiriam ao desconhecido.

Totalmente fora das ideias que conhecemos sobre as sereias, como “A Pequena Sereia” ou “A Sereia Iara”,  ou o romance "Siren" de Kiera Cass, temos um novo mundo diante dos nossos olhos, que cabe a cada um de nós, se depois de explorarmos, acreditaríamos em tal ou não, porque o que nós sabemos sobre os oceanos é apenas um pouco mais de um por cento, e cerca de noventa por cento dos oceanos ainda não foi mapeado.  Afinal, é um mundo grande, e nós, humanos, sabemos pouco e não temos controle sobre quase nada.

A série está avaliada para um público de maiores de 16 anos, e a segunda temporada foi lançada no dia 24 de janeiro de 2019 no site da Freeform, mas para quem não quiser esperar até chegar ao Canal Sony, aqui no Brasil, pode estar assistindo online nos seguintes sites:

Primeira Temporada: Assistir Siren Dublado Online
A Segunda Temporada ainda não está disponível completa, só temos online até o sexto episódio:

E, para finalizar, deixo os trailers aqui:


Nenhum comentário:

Postar um comentário

IASMIM SANTOS
LAYOUT POR LUSA AGÊNCIA DIGITAL