RELACIONADOS





Minhas tattoos e +

18 de abril de 2019

@_iasmimsantos

Olá, como estão, tudo bem?
Espero, de coração, que sim!
Semana passada, eu postei aqui no blog falando sobre o desenhista Cicero Matias, que fez a ilustração dessa minha tatuagem, e como prometido, vou falar um pouco sobre as minhas tattoos, como foi a decisão para fazer cada uma delas, se doeu, e falar um pouco sobre essa forma de arte tão linda quanto todas as outras.

Quando eu era mais nova, tinha um certo preconceito sobre pessoas que tem tatuagem, talvez porque, na maioria das vezes, era relacionada a bandidos e pessoas de baixo escalão, porém conforme eu cresci, expandi minha mente, comecei a estudar e aprender sobre liberdade de expressão e arte, entendi que era algo bonito e natural, e a importância de respeitar as escolhas das outras pessoas e não julgá-las por isso.

“Nossa pele é uma dádiva, é um tipo especial de tela”, foi o que a antropóloga Susanna Kumschick disse quando questionaram sobre o porquê de a tatuagem ser arte. E eu concordo com o que ela disse, porque nós somos tão únicos e singulares, que deveríamos ter o poder de expressar a arte da forma que achamos melhor, e se pra mim, o meu corpo e quem eu sou é uma forma de arte, deve ser natural eu me sentir livre para fazer o que quiser com ele, e pintar o que achar mais bonito e que me representa nele também.

A minha primeira tatuagem, eu fiz em julho de 2018, no estúdio Som Tattoo em Praia do Forte, o tatuador me conhecia há dois anos, e ele sempre brincou, perguntando quando eu tomaria coragem para fazer, a minha ideia inicial era fazer uma cauda de sereia, com uma conchinha do mar, no antebraço, mas, quando eu decidi foi espontâneo. Eu tinha ido no banco fazer um pagamento, e aproveitei para passar lá, e decidi fazer essa:






A ideia original da tatuagem era as duas ondinhas e a palavra mar, mas, pensando em como sempre fui adepta dos ideais do amor, optei pela palavra amar.

Não doeu, nem preciso jurar para vocês acreditarem em mim, porque eu não falaria nada que não fosse verdade para vocês. O máximo que eu senti, foi um incômodo, e precisei tomar todos os cuidados para a cicatrização. Me apaixonei pela pomada Nebacetin, pois aliviava muito as coceirinhas e a minha vontade de puxar as casquinhas que saíam.




Essa é a minha segunda tatuagem, no mesmo dia que a fiz, também fiz um coraçãozinho na falanginha do dedo anelar da mão esquerda, mas é muito pequeno, não preciso colocar a foto aqui.

Fiz essa tattoo em homenagem às minhas avós, sempre fui apegada a elas, em especial a minha avó materna, essa foi uma forma de eternizá-las comigo, e me lembrar das minhas raízes e exemplos de força.

O tempo para fazer as duas tattoos foi de quinze minutos, e assumo que senti muita dor na tatuagem do dedo, acho que por conta do osso, sabe. Pouca carne e pele fina.

A minha quarta tatuagem e a mais recente é a mais linda que eu acho! Amo todas, com um carinho imenso, mas essa em especial, porque representa o meu signo, o leonina que sou. A fiz em 10 de agosto de 2018, foram três horas de ansiedade e música boa, porque eu estava louca para ver como ia ficar, e porque o Som tem um ótimo gosto musical.

Como já disse, a ilustração foi feita pelo Cicero Matias, e reproduzida pelo Som, a junção do talento dos dois resultou no meu presente de aniversário de vinte anos.

Mesmo depois de quase um ano, ainda tenho algumas reações alérgicas, quando como alguma coisa muito remosa, ou quando cai alguma coisa que irrita a minha pele, por isso ainda cuido bem e utilizo a pomada Bepantrix, é como bálsamo nesses momentos.







Tenho muitas ideias e vontades para tatuar o meu corpo, mas respeito o meu tempo e momentos, então, por enquanto estou satisfeita com essas, e ainda não enjoei de nenhuma delas.

Todas as minhas tatuagens foram feitas em Praia do Forte, no estúdio Som Tattoo, vocês podem ver o trabalho deles clicando aqui: @SomTatooSantos

Nenhum comentário:

Postar um comentário

IASMIM SANTOS
LAYOUT POR LUSA AGÊNCIA DIGITAL